Notícias
14 Jul. 2017 Bienal de Arte de Cerveira O Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, vai presidir a inauguração da XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira, que decorre amanhã, 15 de julho, pelas 16h00, no Cineteatro. Evento
Aproximando-se dos seus 40 anos, a 19.ª edição da bienal de arte mais antiga do país presta a sua homenagem principal a um dos maiores nomes da pintura nacional e internacional, Paula Rego. 

"DA POP ARTE ÀS TRANS-VANGUARDAS, Apropriações da arte popular" é o tema da XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira, que decorre de 15 de julho a 16 de setembro, em Vila Nova de Cerveira, para apresentar mais de 500 participantes de 35 países, e mais de 600 obras de arte. 

O formato, adotado desde a primeira Bienal, foi mantido de acordo com o objetivo a que este evento se propõe desde 1978: um local de encontro, debate e investigação de Arte Contemporânea, num programa concertado com a vizinha Galiza e o Ensino Superior a nível Europeu. 

De recordar que nas últimas décadas, a Bienal Internacional de Arte de Cerveira tem-se afirmado como um dos acontecimentos mais marcantes das artes plásticas no nosso País sendo, sem dúvida, um evento de referência para a cultura artística nacional e internacional. De recordar que é a bienal de arte mais antiga do país e da Península Ibérica em termos de atividade. 

O programa de 2017 envolve: Concurso Internacional; representações de 14 Universidades, Escolas Superiores e Politécnicos das áreas artísticas; Artistas Convidados e Curadorias nacionais e internacionais; Homenagem principal (Paula Rego), Homenagens (Jaime Azinheira e Ernesto de Sousa); Conferências e Debates; Ateliers e Workshops; Performances; Visitas Guiadas; Concertos; entre outros. 

Aproximando-se dos seus 40 anos, a Bienal Internacional de Arte de Cerveira presta tributo a um dos maiores nomes da pintura nacional e internacional, Paula Rego. Detentora de um imaginário simbólico distintivo, a artista encontra-se representada nos mais conceituados museus do mundo. 

No total serão apresentadas ao púbico 51 obras, entre gravura, desenho e pintura, criadas entre 1968 e 2001, de coleções de Fundações, Museus e privados. De destacar a presença das pinturas "The Barn" (1994) do Museu Coleção Berardo, avaliada em mais de 1 milhão de euros, e "Lenços dos Amores" (1968), da Coleção Millennium BCP, de 250 mil euros. 

A ligação de Paula Rego ao evento remonta à 1.ª edição (1978), na qual participou como artista, e a 1995, ano em que a reprodução da sua pintura "Guarda" foi capa do catálogo da VIII Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Esta peça, pertencente a uma Coleção Privada em depósito na Fundação de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, também integrará a exposição.