Notícias
12 Dez. 2019 Caretos de Podence são Património da Humanidade A Direção Regional de Cultura do Norte congratula-se com a decisão da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) que acaba de inscrever as Festividades de Inverno - Carnaval de Podence na lista representativa de Património Cultural Imaterial da Humanidade. Evento
Em fevereiro de 2017, o Carnaval de Podence (Macedo de Cavaleiros) já havia sido inscrito no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, tendo avançado depois para a candidatura à UNESCO sustentada na:

- Importância de que se reveste esta manifestação do património cultural imaterial enquanto reflexo da identidade da comunidade em que esta tradição se originou e se pratica;

- A importância de que se reveste esta manifestação do património cultural imaterial pela sua profundidade histórica e evidente relação com práticas festivas homólogas, características do Nordeste Trasmontano;

- A produção e reprodução efetivas que caracterizam esta manifestação do património cultural na atualidade, traduzida em práticas rituais transmitidas intergeracionalmente no âmbito da comunidade de Podence, com recurso privilegiado à oralidade;

- A importância técnica e científica de que se reveste o pedido de inventariação em apreço, que atualiza investigação em profundidade, desenvolvida ao longo de diversos anos com recurso aos métodos e técnicas na área da antropologia. 

O promotor desta candidatura à UNESCO foi o Município de Macedo de Cavaleiros, em parceria com a Associação dos Caretos de Podence, que iniciou o processo em 2014. No ano de 2017, o plenário da Assembleia da República, por unanimidade, deu um voto de saudação ao Carnaval dos Caretos.

Também nesse ano, esta tradição de Trás-os-Montes foi reconhecida pelo Governo com o estatuto de Património Cultural Imaterial de Portugal. 

Os Caretos de Podence, com coloridos fatos, máscaras de ferro ou lata, chocalhos à cintura e um pau para amparar as tropelias, são conhecidos pelas manifestações ruidosas que durante quatro dias, no Carnaval, atraem à aldeia transmontana curiosos portugueses e estrangeiros.