Notícias
03 Fev. 2020 Casa das Artes: Jovem Orquestra Portuguesa Dia 25 de fevereiro, às 17h00, na Casa das Artes, Porto. Evento
Neste 3º Encontro Barroco, a Jovem Orquestra Portuguesa (JOP) estreia-se no domínio da ópera, com um tema irresistível e atual: o escultor Pygmalion apaixona-se perdidamente por uma das suas próprias obras, a escultura de uma mulher perfeita e convence Vênus a dar vida à estátua. É deste modo que nasce este acto de ballet, uma ópera cómica com música incandescente e sedutora.
 
Trasmitida por Ovídio, com libretto de Ballot de Sovot (a partir de Houdard de La Motte), "Pigmalion" foi escrita em 1748 no auge da força criativa de Rameau (1683 — 1764). Uma trama de aparente simplicidade, "Pigmalion" é o palco para um debate/reflexão sobre as tentações de uma sociedade onde se torna imperativo construir uma imagem (mesmo que falsa) e à qual é necessário dar uma vida. 

A encenação enérgica de Teresa Simas e a participação colectiva da JOP (cujos membros colaboram regularmente em espectáculos multidisciplinares que incluem palavra, movimento, etc) darão vida a esta fábula que tão facilmente se reflete nos nosso tempos, 271 anos depois da sua estreia auspiciosa. 

(Pedro Carneiro)

PROGRAMA

Jean Philippe Rameau - Pigmalion RCT 52

------

Jovem Orquestra Portuguesa:

Pedro Carneiro - direção musical
Marina Lopez - cravo
Pedro Martins - tiorba e guitarra barroca
Teresa Simas - encenação
Pedro Sousa Silva e Mario Braña - ensaiadores convidados

Vozes:

Irene Brigitte - soprano
Esperanza Rama - soprano
Bruno Nogueira - tenor